Afinal, vale a pena contratar um síndico profissional? Entenda mais sobre o assunto

Síndico profissional

O síndico é uma pessoa muito importante em um condomínio, afinal, sem ele, tudo pode se tornar um caos, concorda? Contudo, na eleição de síndico, percebe-se que nem todos têm conhecimento suficiente para atuar na área ou até mesmo interesse em assumir essa responsabilidade. E é exatamente aí que entra o síndico profissional.

A atuação de um síndico profissional vem se destacando nos dias atuais, contudo, a regulamentação da profissão ainda enfrenta problemas. Neste artigo, vamos explicar essa polêmica e ainda tratar dos cuidados que o condomínio deve ter ao contratar um síndico profissional. Vamos lá?

Crescimento da profissão

Com atividades dinâmicas e uma rotina flexível, a profissão de síndico profissional tem ganhado cada vez mais espaço no mercado. Isso porque, com a predominância da vida em condomínio, surgiu uma grande demanda por esse tipo de profissional.

Não há dados oficiais sobre a quantidade de condomínios em nosso país, mas o Censo Demográfico de 2010 estima que há, no Brasil, aproximadamente 240 mil condomínios edilícios verticais. Somente na cidade de São Paulo, uma entre três pessoas vive em conjuntos habitacionais, sendo que esse número aumenta significativamente a cada ano. 

É fato que cada um desses empreendimentos necessita obrigatoriamente de um síndico. Sendo assim, passa a ser mais urgente a existência de pessoas que estejam capacitadas para exercer a profissão de síndico. E é importante destacar que no art. 1347 do Código Civil Brasileiro os condomínios são autorizados a contratar, em assembleia, um síndico profissional que não seja condômino, o que acaba facilitando a escolha.

Polêmica da regulamentação da profissão

Entre os projetos de lei que tramitam no Congresso, o PL 348/2018, criado pelo Senador Hélio José (PROS/DF), está causando controvérsias na regulamentação da profissão de síndico não condômino. 

O debate ganha o tom polêmico com a entrada do CRA (Conselho Regional de Administração), que reclama a responsabilidade sobre a categoria do síndico profissional. Dois tópicos básicos norteiam essa discussão: 

  • a necessidade de regulamentação da profissão do síndico profissional; 

  • o vínculo da profissão regulamentada ao CRA.

O tema regulamentação não vem de hoje. Na verdade, ele virou conversa recorrente no setor condominial há mais ou menos cinco anos — época em que a figura do síndico profissional ganhou muita força. 

Com isso, o debate acabou dividindo as opiniões, e o que não falta são argumentos para justificar as diferentes posições. Alguns falam sobre interesse políticos e outros sobre reserva de mercado profissional. Há, ainda, quem ressalte que o síndico profissional atuou até agora com competência, embora apresente variadas formações.

De maneira geral, temos os que apontam o aumento de burocracia e a improdutividade da regulamentação, alegando a ausência de vantagens ou qualquer relevância. Em contrapartida, determinados grupos defendem que, a partir da regulamentação, o profissional vai ter maior responsabilidade e comprometimento no desenvolvimento das suas funções. 

Vantagens de se contratar um síndico profissional

É comum ter dúvidas sobre o que mais vale a pena para o condomínio: investir nos serviços de um síndico profissional ou eleger um síndico morador que esteja na rotina do empreendimento?

Entretanto, não há nenhuma resposta definitiva. O que deve ser levado em consideração são fatores como o tamanho do condomínio, o preparo do morador e, claro, a previsão orçamentária.

O síndico profissional tem nessa atividade a sua ocupação principal e, para tanto, deve receber um salário. A sua remuneração vai depender, principalmente, da estrutura a ser gerida e do seu escopo de tarefas.

Porém, essa remuneração, que a princípio pode pesar no bolso, deve ser pensada como um custo-benefício. Até porque alguém realmente qualificado e experiente estará à frente da gestão do condomínio, concorda?

O síndico profissional, com o seu conhecimento, pode criar estratégias elaboradas, reduzir custos na manutenção de condomínio, fazer contratações mais adequadas, entre outras atividades que impactarão positivamente a administração condominial. Além disso, ele terá imparcialidade para gerenciar conflitos, habilidade no trato com prestadores de serviço e um relacionamento bem mais profissional com moradores. 

Por não ter vínculo nenhum de propriedade ou de moradia com o condomínio, o síndico profissional certamente será mais objetivo no momento de tomar as decisões. E, claro, que ficará muito mais cômodo para os condôminos realizarem críticas ou cobranças e tirarem suas dúvidas, sem o medo de causar um clima ruim no dia a dia do condomínio. As vantagens, portanto, são muitas.

Cuidados ao contratar um síndico profissional

Como você pôde ver, contratar um síndico profissional traz diversos benefícios. No entanto, assim como em qualquer outra profissão, é importante ter alguns cuidados antes de preencher essa vaga. Veja quais são eles:

  • analise qual é a formação do profissional. Normalmente, os síndicos profissionais possuem cursos técnicos ou ensino superior voltados às áreas contábeis, administração ou financeira;

  • pergunte sobre as especializações realizadas recentemente. Com todas as mudanças constantes em legislações, o ideal é que esse profissional esteja sempre conectado com o mercado;

  • peça indicações sobre o profissional em condomínios que já foram atendidos por ele;

  • se a contratação for feita por empresas terceirizadas, veja se essas são idôneas e se elas têm experiência na área;

  • solicite um contrato no qual constem todos os detalhes do serviço, e também a forma de pagamento;

  • não deixe de monitorar constantemente o trabalho do profissional após a contratação para avaliar a sua ética, performance e transparência junto ao condomínio.

Enfim, o síndico profissional supre o problema de moradores que não têm conhecimento, tempo ou vontade de atuar como síndico. Pense na seguinte situação: você escolheria para cuidar na sua empresa alguém que aceitou a função por simples obrigação ou um profissional que entende da área e ainda traz uma bagagem de experiências?

Quando um condomínio não tem moradores qualificados para atuar como síndico, é bem mais acertada a decisão de deixar a responsabilidade nas mãos de uma pessoa treinada e de confiança. Por isso, vale muito a pena a contratação de um síndico profissional.

E, então, gostou do texto? Quer saber mais sobre esse profissional? Então aproveite a visita em nosso blog para ler também o texto sobre as habilidades e ferramentas indispensáveis para o síndico profissional!

  • Created on .

Mantenha-se atualizado com notícias, inspirações e eventos



Todo o mercado imobiliário em suas mãos

Social


Copyright 1989 - - Alterdata Software - Todos os Direitos Reservados

Ligue agora, é grátis

0800 704 1418